Ser quem se é

“Sapo é sapo”, de Max Velthuijs fala de autoestima e da coragem de se ser quem é em plena aceitação. Praticámos as posturas de yoga das personagens envolvidas e fizemos o jogo “espelho meu, espelho meu, diz-me lá quem sou eu”. Respirámos e relaxámos.