Vidas muito ocupadas

“A aranha muito ocupada”, de Eric Carle espelha o Zeitgeist, onde não há tempo nem para responder aos bem-intencionados amigos. Ouvimos a história, praticámos as posturas correspondentes às personagens e dramatizamos a canção “Dona Aranha”. Respirámos e relaxámos.

Yoga no inverno

Acompanhando o ritmo do tempo iniciamos o ano 2022 com a história “Adivinha quanto eu gosto de ti no inverno”, de Sam McBratney. Praticámos posturas de yoga invernais, observámos o pau de chuva, respirámos e relaxámos.

Advento, Advento, uma luz cintila…

Nas semanas de Advento preparámos o Natal com histórias da tradição oral, músicas, gestos e objetos simbólicos da época, isto é, foram passadas entre anjos, coroas, velas, estrelas…. e muito sentido.

Não faz mal ser diferente

A Convenção sobre os direitos da criança comemorou-se em 20 de novembro e essa temática foi explorada na semana seguinte a partir do livro “Não faz mal ser diferente”, de Todd Parr. Depois de ouvir a história fizemos um jogo de memória e praticámos as posturas de algumas das suas personagens. Cantámos uma adaptação da música “Se és feliz e sabes isso”, treinámos a respiração e relaxámos.

Yoga, Bunny

O livro “Yoga Bunny”, de Brian Russo, foi traduzido do inglês e adaptado para as sessões de “Literacia do Ser” porque enquanto conta uma história ensina a fazer posturas de yoga: “cão a olhar para baixo”, “árvore”, “guerreiro”… Também introduz o mantra Ommm e termina com o relaxamento.

Ritmar o tempo

Em pleno “Verão de S. Martinho” festejámos a sua lenda e acrescentámos a história “O sol”, de Marina Algarvia, que reverencia a sua importância do sol na vida na Terra. Praticámos a “Saudação ao sol”, algumas posturas e relaxámos.

Quem quer mimos?

O tema dos afetos é necessariamente recorrente na “literacia do Ser” e a história “O cato quer mimos”, de Ana Ventura um excelente ponto de partida. Depois de contada a história praticámos as posturas das personagens e fruímos da passagem no “túnel dos mimos”. Ainda respirámos e relaxámos.

Brincar com o lado sombrio

Enquadrado na época da Halloween trabalhou-se a história “Era uma vez a Bublina”, de Manuela Bacelar. Cantámos e dançámos “A bruxa que só cheira a chulé”, praticámos as posturas de cobras, lagartos, aranhas e sapos, fizemos jogos de atenção sonoros…e depois de tudo relaxámos.

Yoga no outono

A história “Jaime e as bolotas”, de Tim Bowley, foi contada e posteriormente recontada com a inclusão de posturas de yoga nela inspiradas. Introdução da saudação ao sol.

Tudo começa numa semente

Adequando as sessões de “Literacia do Ser” ao currículo trabalhou-se a obra “Começa numa semente”, de Laura Knowles, em modo de yoga no outono e na Semana da alimentação. Depois de explorados cheiros e texturas praticámos a saudação ao sol, a postura da chuva da semente e da chuva, tudo elementos essenciais a um brotar proficiente. Depois respirámos como o vento, como a brisa suave e relaxámos ao som do mantra Sa Re Sa Sa.